sábado, 1 de agosto de 2015

Comes nem que seja pelos olhos! (ou nariz...)



Imagens impressionantes, onde o actor e "rapper" Yasiin Bey, conhecido no mundo artístico por Mos Def, demonstra na base naval norte-americana de Guantanamo no que consiste a "alimentaçäo à força". O procedimento é usado em presos que realizam greves de fome e passa por introduzir um composto contendo nutrientes essenciais à manutenção da saúde humana no estômago, através de uma sonda que entra pelo nariz e passa pela traqueia, antes de chegar ao esófago. Um vídeo que devia ser visualizado por Joshuas Wongs e afins, que julgam que isto da greve da fome é uma brincadeira de miúdos.

Olha se fosse o Caldas...


O futebolista português Nuno Silva, de 29 anos, protagonizou uma enorme "gaffe" durante a sua apresentação no clube espanhol Real Jaén, da II Divisão "B" do país vizinho, ao ostentar uma t-shirt com uma imagem do ditador fascista Francisco Franco, tendo posteriormente pedido desculpa pela "confusão". Nuno Silva, que na época passada representou os açorianos no Santa Clara, disse numa nota de imprensa que "comprou a camisola em Portugal há muito tempo", e tendo passado a totalidade do seu tempo de vida entre Angola e Portugal, "desconhecia o impacto que a imagem de Franco tinha entre os espanhóis". OK, acredito que o rapaz seja mesmo um idiota, e nem faço um paralelo com o que seria caso um jogador espanhol ou outro qualquer estrangeiro se apresentassem num clube português vestido com uma t-shirt com a imagem de Salazar estampada - a maioria ia "achar bem", mas falava mal na mesma (somos assim...fazer o quê?). Contudo não posso deixar de pensar que o rapaz estava a querer dar uma de "simpático", apresentando-se com o único adereço que tinha relativo ao país do clube que ia representar, mas as suas boas intenç­ões esbarraram de frente com a sua ainda mais evidente burrice. Ora imaginem se ele se fosse apresentar no Caldas Sport Clube...

sexta-feira, 31 de julho de 2015

É amanhã…



Cumprindo o que é já como que uma tradição no Bairro do Oriente, deixo-vos com este tema dos Xutos, que faz todo o sentido apenas neste dia do ano. Boas férias, se for esse o seu caso.

Triunfo Vital


A atleta macaense Eva Vital sagrou-se campeã nacional dos 100 metros barreiras no passado fim-de-semana em Leiria, durante os campeonatos de Portugal. A atleta do Benfica terminou a final em 13,82s, deixando para trás as atletas do Sporting, Olímpia Barbosa e Andreia Felisberto. Já nos 100 metros planos a atleta natural de Macau não foi além do sexto lugar na final, numa prova mesmo assim renhida onde terminou apenas meio segundo atrás da vencedora, a congolesa Lorene Dorcas Bazolo. Resultados que confirmam Eva Vital como uma certeza do atletismo nacional, confirmando tudo o que já tinha dito sobre ela neste espaço. Parabéns, Eva!

Fracas figuras



Se o Belenenses se destacou pela positiva ao apresentar uma equipa 100% composta por jogadores portugueses, menos felizes foram alguns dos nossos "emigrantes", com destaque para dois deles em particular: Miguel Vítor e Paulo Machado. O primeiro, defesa-central ex-Benfica e actualmente ao serviço dos gregos do PAOK, conseguiu bater um recorde da Liga Europa, mas infelizmente um negativo, ao ser expulso logo aos dois minutos na paetida em casa contra os eslovacos do Spartak Trnava. Mesmo sem o contributo do defesa luso durante…bem, todo o encontro, o PAOK conseguiu vencer por uma bola a zero, resultado que abre boas perspectivas para que a equipa de Salónica chegue ao "play-off" de acesso à fase de grupos, contando que jogue com onze no jogo da segunda mão na próxima quinta-feira, em Trnava.

Já Paulo Machado protagonizou um episódio que bem lhe poderia valer o epíteto de "cavaleiro da triste figura". O médio internacional português não gostou de ser substituído na partida entre a sua equipa, o Dinamo Zagreb da Croácia e os noruegueses do Molde, a contar para a primeira mão da pré-eliminatória da Liga dos Campeões, que terminaria empatada a um golo. Pior que ter sido trocado a meio da etapa complementar, foram os apupos dos adeptos croatas, que ficaram desagradados com o desempenho de Machado, e este respondeu-lhes com um manguito. Para tornar as coisas ainda piores, foi expulso quando já se preparava para assistir ao resto do encontro do banco de suplentes, e deixaria o recinto de jogo visilmente alterado, debaixo de ainda mais apupos. A brincadeira saiu cara a Machado, que pagou 100 mil euros de multa para o clube lhe levantar a suspensão e não o colocar na lista de dospensas, e ainda apresentou um pedido de desculpas. Razão tem este adepto, que deixou o seguinte comentário no YouTube:

crveni karton zato što je pokazao šta misli o hrvatima,sramota za sudiju

Falou pouco e disse tudo!


Belém histórico



O Belenenses está de regresso ás competições europeias depois de vários anos de interregno, e logo com um triunfo no Restelo contra os suecos do IFK Gotemburgo por 2-1, um resultado que se pode considerar lisongeiro para os visitantes. No entanto mais que o resultado (que mesmo assim foi positivo) o destaque vai para o facto do treinador Ricardo Sá Pinto ter convocado somente jogadores porrugueses. Isso mesmo, todos os 11 jogadores titulares, 3 suplentes utilizados e 4 não utilizados pelos "azuis" de Belém foram portugueses, e um onze inteiramente lusitanoalgo que já não acontecia desde a época 1985/86, quando o Sporting foi derrotado por 1-2 em Bilbau frente ao Athletic em jogo a contar para os oitavos-de-final da Taça UEFa, já lá vão quase 30 anos. . Penso que estamos de acordo que só por este facto o Belenenses merece toda a sorte do mundo no jogo de retorno, na quinta-feira que vem, em Gotemburgo.

quinta-feira, 30 de julho de 2015

João Caetano - "É tempo de mudança"



João Caetano, músico nascido e criado em Macau para o universo da lusofonia lançou finalmente o seu primeiro single: "É tempo de mudança", e congratulo-me (tenho a imerecida honra, diria mesmo) de ter tido o próprio a enviar-me o "link" para o vídeo acabadinho de colocar no YouTube. O que dizer do tema em si? Pouco mais do que isto: brilhante. Quem me conhece sabe que ando normalmente a duas velocidades: ou digo mal (o meu exercício de catarse predilecto), ou não digo nada, dependendo da consideração que tenho pela pessoa. Aqui o João faz-me "meter a terceira", ou seja, reconhecer o mérito onde ele existe, e nem é necessário um grande esforço para se gostar logo deste seu trabalho de estreia, que tem à partida algo que abona em seu favor: é em português. Dito isto, surpreendeu-me o estilo, que talvez devido ao seu anterior trabalho com os Incognito esperava que fosse algo mais "jazzistico", mas niet! João Caetano rende homenagem a uma das duas maiores influências (a maior?), José Afonso, pegando na música de intervenção de raíz abrilista, fazendo-lhe um "upgrade" para a versão 2.0. A formação musical de João Caetano acrescenta à mensagem de teor marcadamente social e politico algo que é hoje uma condição "sine qua non" para se ser tido e achado nesta competitiva indústria que vive cada vez mais do "já, agora , imediatamente": o ritmo. Num tempo em que a memória é curta, tão curta que tantas vezes não nos deixa tempo para absorver a mensagem e deixar-nos dois minutos a reflectir sobre aquilo que acabámos de escutar, João Caetano propõe-nos um tema com letra sua, e música em co-autoria com Francisco Sales, que entra logo no ouvido após a segunda vez que se ouve (primeira para a maioria das pessoas, eu sou um bocado duro de ouvido), e dá para cantarolar e tudo, para impressionar as miúdas, e tal - é só atinar com a letra, algo que para mim é ainda um "work in progress".


Se tenho alguma coisa a apontar? Claro, nem podia ser de outra forma, pois caso contrário deixáva-mos de ter os "Grammies" e no seu lugar teríamos os "Joaos Caetano's". Só que aquilo que considero menos bem conseguido nem tem a ver com a música em si, mas mais com o vídeo. Não tirai conclusões precipitadas, o "clip" de José Ricardo Lopes com desenhos de Rómulo Santos e edição de João Silva está excelente, mas a meu ver falta algo de essencial: o próprio artista. Sendo este o seu trabalho de estreia, e com o devido "marketing" um êxito em potência, perde-se uma excelente oportunidade para o João Caetano se dar a conhecer ao grande público. Mas isto é de somenos importância, pois a canção é cinco estrelas, a mensagem é válida, actual e pertinente, e o João vocaliza-a com uma garra e uma paixão que me deixam perfeitamente rendido. E mais que todo este "parlapié", nada como escutar "É tempo de mudança", e garanto-vos que vale mesmo a pena. Sinto-me inchado de orgulho por o João ser 1) um artista "made in Macau" e 2) ter a suprema honra de o conhecer (já vos disse que não sou merecedor?).

Um grande abraço e parabéns, João!

PS: E o álbum, é para quando?


quarta-feira, 29 de julho de 2015

Bucha, a confusa



Toma lá mais um ""cartoon" de fraca qualidade"

Borradinha de cagufa, Nuna, a gorda porcalhona, vem demonstrar mais uma vez que a língua portuguesa não é a sua praia, num texto publicado no seu grupo doFacebook, que ia deixar o mais cábula dos alunos da 3a. classe envergonhado. Vou aqui reproduzir o macarrónico verbatim que a infeliz criatura produziu, e de seguida - e reparem como a minha paciência é superada apenas por Santo António, e poucos mais - deixar claros alguns pontos que lhe parecem causar (ainda) um certo prurido anal:

Dedico estas palavras aos meus inimigos, aos cobardes, aos mentirosos, aos tristes, aos provocadores, aos infelizes e mais que tudo aos ignorantes!! A [HÁ, sua besta, seu anormalóide, analfabesta!] mais de uma semana que sou vítima de difamação, de inveja, de ignorância e de falta de educação!! 
As pessoas revelam se nestas alturas a falta de personalidade o pouco que valem, a cobardia que os seguem e usam um teclado de escudo e de arma de difamação!! Já os antigos diziam cão que ladra não morde...é uma grande verdade!! Usam a internet para difamarem, fazer Cartoons de fraca qualidade e usam a linguagem de um autêntico ignorante!!! 
Ignoro esse tipo de vermes, lixo e de fraca personalidade. Não sou do nível de certos vermes, bactérias ou podridão desta sociedade que não são homens de dizer na cara o que escrevem e são tão infantis e cobardes que usam a internet para escrever a infelicidade é inveja que sentem pelo um adversário!! HOMEM fala cara a cara e os cobardes escondem se na internet!! 
Vou sempre ignorar os infelizes a escória da sociedade que tentam diminuir quem muito invejam...ignorar foi e vai ser sempre o meu lema!!!


Em primeiro lugar vai dedicar este monte de garatujas ideológicas ao raio que te parta, pá, eu tinha vergonha. Num mundo ideal cortavam-te as mãos para não "escreveres" mais, e não sei quem é que te habilitou a tamanha ousadia. Escreves mal e porcamente, e enquanto andar pela Terra seja eu um cão se te vou incluir no grupo dos adultos alfabetizados. O meu filho tem 14 anos, passo a vida a criticar os seus pobres hábitos de leitura e a sua escrita preguiçosa e dolente, mas em comparação com as tuas tentativas de homicídio da nossa pobre língua, ele é um Lord Byron em potência. Se para alguma coisa esta verborreia sem nexo pode servir, é para medir o grau de iliteracia nacional, e que neste caso eleva ao patamar de "razoável" a aplicação de uma medida semelhante à solução final do III Reich - é só dizeres para onde mandar depois a conta do gás.

Quem me vem seguindo, já lá vão quase dez anos, e mesmo os que só recentemente tomaram contacto com o Bairro do Oriente, sabem que não tenho por hábito perder demasiado tempo com este tipo de lavagem de roupa suja, mas o que está aqui em causa é a minha reputação - valha isso o que valer, e para mim vale tudo isto e muito mais. Não me considero um líder de opinião nem um douto catedrático para me impôr sobre ninguém, mas não admito que um semi-alfabetizado como tu venha por aí fora chamar-me de "arruaceiro" e pôr em causa a minha disponibilidade para debater os temas de forma séria, optando sempre pela via do diálogo e aberto a todas as correntes válidas de pensamento - onde não se inclui, como é óbvio, a tua. Tenho as provas todas na mão que demonstram que foste tu, ó palerma, que cheio de cócegas por eu ter elevado uma discussão a um nível acima das tuas habituais macacadas, quem tomou uma atitude confrontatória que culminou na minha expulsão, sem motivo, aviso, justificação ou qualquer outro móbil que não fosse aquilo que toda a gente viu: birra.

Esta nova missiva parece-me pautada pela confusão e pelo desespero; ora a bicha se diz "vítima", ora entra em tom de desafio chamando de "cobardes" os que "usam o teclado como escudo e arma de difamação" (penso que no meio daquela salganhada toda é isto que ele queria dizer). Penso que quem tem o mínimo de estima por este pobre de Cristo - a haver alma assim tão caridosa - deveria avisá-lo para se conter quando fala de "difamação", pois não se trata aqui de nenhuma brincadeira. A difamação é uma figura jurídica prevista no Código Penal, no artº 174º, e eu recomendava a este anormal que lesse o texto desse artigo antes de me vir acusar 3 (três) vezes no mesmo texto de o "difamar". Existe ainda outra figura que é a da denúncia caluniosa, e se um dia me apetecer embirrar com o menino, lá vamos ter mais do que o habitual chichi e cair-lhe pelas calcinhas abaixo. O hilariante (ou nem por isso) é a referência que faz a "'cartoons' de fraca qualidade - ora essa, não sabia que estávamos num concurso, mas olhe: obrigado na mesma.

Como já disse, tenho paciência de santo, mas esta também se esgota, e com o menino esgotou-se depressa, muito por culpa da sua arrogância de pedantezinho, que deve estar habituado a levar a melhor, mas digo-lhe porquê: porque ninguém está para o aturar, sinceramente. Agora vá resolver essa confusão que vai aí pela sua cabecinha, e decida-se de uma vez por todas se vai fazer de vítima, ou de mauzão, se vai ficar nesse choradinho, ou enfrentar as coisas como um homem, que penso que já estava na altura, ou ainda se vai "ignorar", como sugere no fim dessa montanha de disparates. A propósito, essa fixação por "bactérias", "vermes" e afins é deveras preocupante. Vá-se curar, camarada.


Enfi(e)m(-nos no…)


Tenho assistido a uma nova moda, moda não, eu diria antes "praga" nas redes sociais e quejandos que consiste em terminar os comentários com um ambíguo "enfim…". São os "enfimadores", um novo tipo de pseudo-intelectual, que num tom a atirar meio para o paternalista mas completamente para o idiota deixam aberta uma linha de pensamento que eles próprios iniciaram - sem que ninguém lhes tivesse pedido porra nenhuma, note-se.

É mais frequente encontrar este tipo de barata tonta nos comentários a notícias com factos que podem ser interpretados de forma diversa, ou temas fracturantes, e em alguns casos sensíveis, e cujas posições de uns podem entrar em rota de colisão com a de outros, e mesmo constituir um insulto à dignidade de quem, ENFIM, optou por dar à vida um tempero diferente (reparem como demonstro aqui um uso correcto para este infame "enfim").

Chamar à posta de pescada que o enfimador arrotou "opinião" é elevar a sua presunção ao estatuto de qualquer coisa digna de registo; normalmente tudo o que antecede aquele "enfim…" é verborreia da mais mal cheirosa, daquela que dá vontade de repreender o indivíduo que se atreveu a emfimar mesmo ali à nossa frente, sem pedir autorização a ninguém, ou perguntou se estávamos com vontade de aturar os seus obtusos enfins.

Uma opinião, como o nome indica, é uma constatação do foro pessoal, nunca de carácter vinculativo, refutável, e acima de tudo mutável - mudar de opinião não significa necessariamente que se é um vira-casacas, mas manter a mesma opinião apesar de todos os indicios do contrário é asinino: uma convicção só o é quando se trata de algo de plausível, de concretizável. O facto de anteceder um monte de barbaridades com "eu acho", ou acrescentar "…na minha opinião" no final dessas mesmas barbaridades não faz delas "opinião". É o mesmo que colocar uma sombrinha em miniatura numa taça de mijo de burra e chamar-lhe "cocktail".

Os enfimistas são os chicos-espertos das absurdas asserções que se querem fazer passar por opiniões; com aquele "enfim…" estão a querer dizer-nos que estão cobertos de razão, e só não elaboram o esterco literário que acabaram de produzir porque nos "nunca iríamos entender", e "vai para além da nossa capacidade". Nisso até podem ter alguma razão, pois sempre tive alguma dificuldade em entender jumentês.

Alguns enfimadores terminam o seu acto de masturbação mental (isto em frente a senhoras e crianças, imaginem) com um daqueles emoticons com um sorrisinho pateta, como quem demonstra condescendência pela nossa "inferioridade" intelectual (estes casos mais frequentes se a discussão é sobre religião). Mas olhem, sabem o que podem fazer com essa atitudezinha imbecil, as sombrinhas em miniatura, os emoticons e o "enfim…" em geral? Enfi(e)m-no no…exactamente, vêem como nem foi preciso acabar com "enfim…"?

terça-feira, 28 de julho de 2015

Caldo de Leocardo

Vinha…russo


Um passageiro "violento" fez a viagem de avião entre Hong Kong e Vladivostok, na Rússia, no passado dia 19, no estado que a imagem em cima documenta: amarrado pelas pernas e braços, tal como um culgar pacote de bagagem de mão. O passageiro era russo e exibia um comportamento violento, pelo que dizer que estava bêbado seria apenas uma redundância. A imprensa inglesa deu grande destaque à notícia e não é para admirar, pois muitos são os súbditos de Sua Majestade que embarcam num estado de embriaguez semelhante ou pior, especialmente agora durante o período de férias. Medo de voar? Festa prolongada? Ou será apenas a "costela russa" que tantas vezes se manifesta nos britânicos, e que não escolhe hora nem local? Seja o que for, este "pacote" foi imediatamente entregue à polícia de Vladivostok, que já nem deve chegar para as encomendas.

sábado, 25 de julho de 2015

Baleia deu à costa



Que baleia mais feia…

sexta-feira, 24 de julho de 2015

O "inteligente"



Nuno Miguel Oliveira

36 mins ·

Cada vez há mais maluco neste planeta e a loucura deles atinge sempre pessoas inocentes que não tem culpa da loucura deles!!

Ai o anjinho pensa que nasceu para detective. Hoje ficou um bocadinho menos idiota, para depois acabar o dia com o triplo da idiotice que tinha antes. No teu lugar treinava cortida… vais precisar,  gorducha badalhoca.

quinta-feira, 23 de julho de 2015

quarta-feira, 22 de julho de 2015

Dr. Pica-Pau, o "argumentador"


Leocardo

E nome de um maluco ou é o nome de um atrasado mental??


Boa pergunta. Leocardo é um pseudónimo, que é uma daquelas coisas que tem a ver com ler e escrever, algo que este passaroco nunca vai atingir, pois são luxos a que não se dá. Melhor dizendo, ler não lê mesmo, que isso dá trabalho, mas escrever… é o que se vê, existindo aqui uma relação causa-efeito bem fácil de identificar. Ironico como Leocardo seja um alias dado a tentativas frustradas de graçolas por parte de alguém a quem se deu a alcunha de…Pica-Pau. Ah esperem lá , que deselegância a minha: Dr. Pica Pau, agora que se douturou em Pantomima na Universidade da Parolice, onde se escreve mas não se lê. De "maluco", nome completo Nuno Pica-Pau Maluco, passou a Nuno Miguel Oliveira…o idiota, que paradoxalmente se auto-intitula de "sábio". Vamos a uma prova, não uma prova de sabor Planta, mas a uma prova de saber Pica-Pau. Deixemos em paz os deficientes mentais, que não se podem defender, e além disso são inimputáveis, e vamos antes ver o que é um "sábio" em todo o seu esplendor:

Pois nesta vida damos de cara com retardados e deficientes mentais que não tem mais nada que fazer que me lamber o cu!!

O fascínio do "sábio" pela estimulação anal e a persistência em agredir verbalmente pessoas que não se sabem e não se podem defender é paneleira e deveras lamentável, respectivamente - neste particular fica evidente a falta de bons modos, classe, civismo, e arrisco-me a adivinhar, de higiene. Não se inibe é de pronunciar estas barbaridades seja onde for, alegando ser-lhe permitido à luz da "liberdade de expressão", ou deixando saber que se trata de "opinião". Ex: "NA MINHA OPINIÃO há retardados e deficientes mentais que não têm mais nada que fazer que me lamber o cu". Exactamente, mas sabes uma coisa? Como estavas de costas não deves ter reparado, mas aquilo não foi bem a língua que eles te enfiaram no bujão, e nem por isso deixaste de gostar. Até pediste bis! - isto, lá está, NA MINHA OPINIÃO. Sua badalhoca lambusona…

São esquizofrénicos que não conseguem viver em sociedade e passam a vida a ser expulsos de blogs.

Apesar de ser literalmente impossível ser-se expulso de um blog (?), penso que ele estava a auto-retratar-se, e "blog" era "bar" trata-se de uma referência aos bares e restaurantes de que este pateta alegre andou a ser corrido estes anos todos - deve ser por não terem compreendido o seu génio, aquele LOOL interior, ou se calhar não lhe provaram do cuzinho - e não me venham com merdas e só vou citar mais uma vez: "(…)não tem mais nada que fazer que me lamber o cu". Faço a devida omissão aos portadores de deficiência que nada têm a ver ("ter a ver" e não "ter haver" sua bufa molhada de avestruz) com a congestão que anda pelas partes inominaveis desta criatura. Mais uma vez se lamenta a leveza com que se refere a um problema real como é a esquizofrenia, e pode que um dia quando souber do que está a falar se retraia. Eu não acredito nem numa, nem na outra - e se lhe explicassem o que era, ele respondia: LOOL!

Há pessoas que têm actos de cobardia e escondem se atrás dos computadores a fazer chacotas ou a difamar quem invejam. A dor de cotovelo é terrível e quando se mistura à loucura de um ser desprezível que se intitula dono da razão e veste a pele de professor torna tudo mais ridículo.

Deixem-me vestir aqui a "pele de professor" (ah! ah!) por uns instantes: as pessoas COMETEM actos de cobardia, mas aqui o Pica-Pau, oops, perdão, Dr. Pica-Pau, não conhece o verbo "cometer", mas apenas "no cu meter", como ficou bem patente no primeiro parágrafo desta sua confissão. E porquê confissão? Porque depois de andar ali este tempo todo com mais este barrote atravessado nos rebordos daquela vala-comum em que se transformou o rêgo, lá vem finalmente projectar na minha figura (e faz favor de ir projectar p'o c…) a frustração por nao conseguir escrever UMA, apenas UMA frase com pés e cabeça. Fosse a gramática portuguesa uma espécie protegida, e este burgesso ja tinha sido atirado numa masmorra e a chave atirada aos crocodilos. Eu fico incomodado, assustado até, que este tumor ambulante se queira esticar até que saia dali um raciocinio completo, com introdução, desenvolvimento e conclusão, sem que quem o esteja a ouvir comece a sentir náuseas a meio da primeira frase. Não da uma para a caixa, e quem lhe da corda ainda devia era ter um pingo de vergonha na cara: ou são uns sacaninhas que se entretêm com as figuras tristes deste momo, ou são tão burros quanto ele. Fazer um "like" naqueles atentados a inteligência que este grunho expele cá para fora é estar a pactuar com ele e reiterar o que vem la expresso (que nunca é nada de inteligível, valido e/ou decente). E pouco me importa se leram ou não, problema vosso. Tivessem lido!

Os covardes não tem coragem de ofender cara a cara então usam blogs para o fazer com o intuito de espezinhar quem invejam.

Aqui esta a confirmação de tudo aquilo que acabei de dizer. Olha lá o Pica, pode ser que um dia aprendas a escrever, mas é melhor recuperares a matéria da 3a. e 4a. classe que perdeste. Qual? Toda! E já que andas mortinho para me ouvires dizer que "sou melhor que tu" para depois andares aí a dar a entender que eu disse que era "melhor que toda a gente". A sério, e por incrível que pareça ha quem va na conversa! Deve ser fadiga, ou ressaca da morfina, sei lá, so tenho um filho, e os outros vao pedir aos respectivos paizinhos que os aturem. A questão aqui não passa por eu ou seja quem sermos melhores que tu, entendes? (Claro que uma criança de 5 anos com uma manhã do primeiro dia da 1ª classe escreve melhor que tu). O que se passa e que se torna quase IMPOSSIVEL ficar perto desse estado de estupor que evidencias. Lamentaria de outra forma, mas prefiro dar graças por ser normalzinho. E de ter ido à escola também.

Eu não aturo malucos esquizofrênicos muito menos com o nome de Leocardo. Não alimento loucuras ou estados perturbação mental.

Fico feliz que tenhas uma lista dos nomes de todos os malucos ou lá o que é, deve ser para te tratarem da rodagem à bufa, que bom para ti. Olha, toma lá que é para ficares aí entretido a noite toda e não acrescentares mais despesa ao rol da palhaçada, que não pagavas nem que vivesses até aos 350.


Sempre respeitei todas as pessoas sem recorrer a ofensas e não é agora que vou fazer!!

Sem comentários.

Vou ignorar um rótulo com o nome de Leo caga, Leo estúpido ou Leo merda!!

��

Quer dizer Leocardo é um ser desprezível que gosta de ofender quem não concorda com ele. E estilo um hitler mas mais louco e perturbado!!

Já te disse para te ires projectar para o c…. Uma curiosidade engraçada (ou nem por isso…) prende-se com as obvias limitações em termos de vocabulário e de referências a figuras historicas - para ele toda a gente é Hitler, que deve ser o único caso que ele conhece de "maldade a toda a prova", em que "as estatisticas provam!!!", "os numeros falam por si!!!" e "contra factos nao há argumentos!!!" As referencias aos excrementos só fazem com que pareça ainda mais porcalhão do que já aparenta ser, e quando se refere a deficientes, esquizofrénicos e retardados, está apenas a ofender estes grupos. Mesmo assim no que respeita a "retardação" ele sabe do que fala, que tambem é a unica vez que isso acontece. Se tem "mérito" nisso"? Vá lá, não brinquem.

Para concluir não tendo sido eu que o expulsei arrependo me de o nunca ter feito anteriormente. Peco por nunca o ter feito porque sem saber tinha um louco no meu blog e cobarde.

Não conhecesse eu a peça, e ficava aqui a matutar que raio de blog é este de que ele tanto fala, mas já percebemos que se trata de mais uma minhoca puxada aqui pelo Picas. Pena é ser tão mentiroso, coitadinho, e que minta tão mal, como em tudo mais que fez , faz, e que fará na sua insignificante vida. Claro que foi ele que me tirou DO GRUPO, GRU-PO, sua besta, e de seguida bloqueou-me, todo convencido que estava por cima. Já contáva(mos) com a saida do grupo (claro que não tinha piada se fosse eu a sair) e acho que apesar de lhe ter demorado dias a perceber o que outros entenderam em poucos segundos, já chegou a conclusão que nao estou sozinho nesta … eu nao chamaria luta, mas antes "desratização". Ao bloquear-me é que foi o bónus, pois além de pensar que me ia deixar com o rabinho entre as pernas, ia ter carta branca para andar armado em marialva:

Macau e pequeno a conservatória fica a mão em breve vamos nos cruzar e irei fazer engolir uma a uma todas as ofensas. Para a loucura há um remédio hospital dos malucos há muito que um débil mental com o rótulo de Leocardo deveria lá estar!!

Macau é pequeno, mas pelos vistos não assim tão pequeno quanto isso:


Apesar de ser flagrante de que o indivíduo AMEAÇA, ainda por cima fazendo referência ao meu local de trabalho, fiz questão em que me mostrasse então toda essa "valentia". Mas coitadito, um dia destes vou ao Sintra e não faço reclamação ok? Não esperes é gorjeta, ou que eu diga "obrigado". Agora o que é que estás ainda a fazer aí de pé? Vai-me lá buscar o pedido que eu não tenho o dia todo, ó conde de LOL, ó Buda de Porto Salvo. Isto hoje em dia já não se encontra criadagem que venha a trazer as bebidas de crista baixa, que começa logo a "argumentar".

Os Tribunais são sítios próprios para resolver processos de difamação e ofensas....quando ao resto não passo cartão a malucos esquizofrênicos e há duas maneiras de resolver o problema de gente maluca: uma é a maneira do Norte outra e na Justiça!!

Outro que pensa que basta dizer "tribunais" e esconde-se logo tudo debaixo das camas e dentro dos armários. Curioso como mudou de opinião quanto as autoridades, já que antes, no tempo em que dava uma de "seitoso", era "a bófia que lhe vinha comer à mão". Recomendo que vá pedir a alguém que lhe explique o que é "difamação" e no que consiste essa figura do Código Penal, e já agora também "injúria", que e aquilo que o menino chama de "ofensas" (coitado). Essa da "maneira do norte" tem piada; tenho vaga ideia do que seja, mas não deve ser tão eficaz como a "maneira de Espanha", como alias o menino ficou a saber após aquele incidente no 171, que passou a constar do anedotário local. A propósito está melhorzinho? É que naquele dia parecia que estava prestes a morrer.

As pessoas não percebem que os blogs não são feitos para fomentar guerras nem são feitos para criar inimizades mas sim para se comentar e argumentar mas como os loucos não sabem argumentar passam a ofensa!! Leocardo Style!!

Aí está a mensagem do Papa(-me por trás) Pica-Pau I, arcebispo de LOOL! Ele sabe para que é que foram feitos os "blogues", que a este ponto já podem ser qualquer coisa: para "comentar", para "argumentar", e por isso deve-se saber "argumentar" (palavra que passou a usar porque me viu a fazê-lo, daí ser tão frequentemente usada por ele, em vão). E vamos ver um exemplo da bela argumentação do rapaz:


Justo entre os justos, tal como o seu novo herói, Aristides Sousa Mendes, que descobriu um dia destes e achou de bom tom exaltar "os feitos deste indivíduo" ("de que toda a gente deve ter conhecimento!!!"), defendendo que "devia ir para o Panteão Nacional!!!". Parece-me legítimo, cada um gosta daquilo que quiser, mas não deixa de ser curioso como para enaltecer Aristides de Sousa Mendes, opte por denegrir a imagem de Eusébio, chegando ao ponto de questionar a sua cidadania. Deve ser aquilo que ele entende por "não ter papas na língua", e "direito à opinião", e um c...ão pelo cu acima deste gajo. Só para terminar, eis um exemplo acabado da inteligência deste cocó de rã:


E o inglês dele é tão espectacular ou ainda mais do que o Português, apesar de dizer que...


...então não é verdade? Desde que não abra a bocarra. Caso contrário é só asneira, seja em que língua for.

Não sei se alguém disse a este triste que se podia vir meter comigo, e tal, e que ia ser um fartote. Se era 1 de Abril, está desculpado, senão, que crueldade. Agora sim, vou acabar com uma pequena sugestão: os restantes administradores do grupo de que este indivíduo se diz "dono" - e que o meta todo pelo cu acima - fazem ali o quê, exactamente? Vão pensando nisso. Agora, isto vai continuar, sim, e é tão divertido "argumentar", é ou não é badochas? Seu maroto...

Deus + Leocardo combatem o bucha!


Apoiem-nos cristãos! Deus e eu na luta contra este carrapato de Lúcifer!



terça-feira, 21 de julho de 2015

LOOL


LOOL espermatozóide de 50 milhões de anos, ah...ah...o que é Antártida? Cerveja?



LOOL dois pretos tiveram um bebé branco LOOL que estúpidos! Os meus estudos intensivos levaram-me a três possíveis explicações, mas tem mais graça se ela...enganou o gajo! LOOL!

LOOL aqui vocês não perceberam? Aqueles...são homens! LOOL! Mas não parecem! LOOL


Ó coiso, ó coiso, anda cá ver como eu sou homem: aquela empregada doméstica era bem capaz de me fazer o serviço! Eu abusava logo sexualmente dela! Ela anda a pedi-las! LOOL!


Olha aquele foi dar cornos a outro gajo e depois teve que sair todo nu pela janela! LOOL! Que situação tão LOOL! 


A Venetian prepara-se para a guerra, e...LOOL! Ah...


OK aqui recuso-me a "lolar". E por isto que a comédia portuguesa está como está: há uns patetas que se riem de tudo. Deve ser para ver se os outros se riem COM ele, e não DELE. Para variar um bocadinho...


O Traidor


Mário Santanás Lopes Soares (e o palerma)


Epá deixa-me ser aqui "bués" pá, e mandar o maior estadista português do século XX pró c..., que eu sou um gajo que não liga ao politicamente "correto", pá! Ó Marocas: tem vergonha, man! Então ali, a planear aquela "guerra de guerrilha" ah? E "batalhas com batalhões", uh uh. E não contente com isso enfiaste-nos na UE, magano!!!! A gente ali tão bem com carroças e burros lá precisávamos e tractores e essas cenas. E depois se levava um dia inteiro de Lisboa ao Porto? A gente ia ver a paisagem, "prontos", no "cambói" a 50 km/2 népias de pressa. E isso da abolir as fronteiras foi uma m... pá. Antes ficava todo contente a ir chapinhar no tanque da Dona Rosália em San Demingues de Ranha, ou ia à praia em Carcavéis...e agora por causa do fdp do velho sou obrigado a ir para Braxeles...Mónique...Cápanada...bosta man. Tanta gente a morrer nova, tipo o Timothy McVeigh, e este ainda vivo, este...SANTANÁS!






O bebé ♥ cocó


- Que alegria! Que alegria! o menino Nuninho aprendeu a posição correcta para fazer cocó! Não foi, bebé?

- Xiiiim! Ah, ah! Tu disseste "cocó" kkkkkk

-  Ainda bem, assim já não vai ser difícil encontrar uma empregada, uma vez que já não é preciso limpar a merda do menino das paredes e do tecto!

- Xiiiim! Melda!

- Então, e o menino gosta de defecar e depois ensinar aos outros meninos?

- Eu gosto de enxinar cocó, é imputante.

- E do acordo ortográfico, o menino gosta?

- Xiim! É o mais "correto"

- Uh uh...e "Gays"?

- Uiiii que nojo! Afasta essas coisas nojentas do menino, e deixa-me ir brincar com o cocó. LOOOOL



segunda-feira, 20 de julho de 2015

Tatuísmo


Um episódio interessante teve lugar em Oeiras na semana passada, quando um casal foi chamado à Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS) para "discutir" a vaga no colégio da filha de ambos para o próximo ano lectivo, que segundo eles "já tinha ficado assegurada". Foi aí com grande espanto que Clife e Bruna Barbosa ficaram a saber pela educadora que os recebeu que a sua filha Mel já não ia frequentar o colégio, e tudo aparentemente por culpa da profissão do pai. Stripper? Gigolo? Corsário de alto mar? Barão da droga boliviano? Não: Clife Barbosa tem um estúdio de tatuagens em Oeiras, um negócio perfeitamente legítimo, registado, e como desconheço esse tipo de procedimentos em Portugal, deve ter os seus impostos em dia, e podem ver tudo aqui, na página do Facebook da "Clife Ink"  - assim se chama o estabelecimento. E parece que o problema era esse: as tatuagens, que a senhora do IPSS ia insistindo serem a razão porque a pequena Mel não ia frequentar o colégio. Segundo conta Clife na sua página do FB, a educadora insinuou mesmo que a razão da criança não poder ficar com um dos avós se devia a estes "não terem aceitado o casamento" - supõe-se que as tatuagens estariam também na origem desta dúvida, e segundo Clife, a senhora olhava para as tatuagens do seu braço com cara de asco, e chegou a comentar "mas essas tatuagens". Grave. Se por um lado o "racismo" não existe, pois depende de conceitos e interpretações abstractos, as tatuagens estão ali e vêem-se. Pode-se dizer que isto se trata de um caso de...tatuísmo!


A conotação das tatuagens com a marginalidade é algo muito mais recente que as próprias tatuagens. A rainha Vitória tinha tatuagem, e duvido que isto fosse uma prática comum nas prisões da Inglaterra novecentista. Thomas Edison, inventor da lâmpada, tinha tatuagem (de uma lâmpada, quem sabe...), James K. Polk, 11º presidente norte-americano, tinha tatuado no corpo um caracter chinês, e outros personagens perfeitamente insuspeitos tinha igualmente tatuagens, casos de Nicolau II, o último monarca russo, Winston Churchill, maior estadista inglês do século XX e George Orwell, autor de "1984". Mesmo em Portugal temos Miguel Esteves Cardoso, por exemplo, que vem provar que não existe uma ligação entre a marginalidade ou a rebeldia, ou o "wild-side", para se ter uma tatuagem - basta ter paciência para aguentar umas picadas. Ah, e há outro:


Ah! E é assim mesmo, eu próprio tenha 4 tatuagens, que não ostento porque são para mim, e esta em particular serve de "aviso" para quando me começar a "esquecer" dos pressupostos que levaram ao aparecimento do personagem. Posso dizer que estão cada vez mais vincados, e cada vez mais odiados  - é bom sinal! Não me parece bem que se façam tatuagens no rosto, pescoço ou num local onde não seja possível evitar contacto visual com a arte (bem, é arte...). Neste caso uma entidade patronal que decida não contratar alguém por ostentar uma tatuagem no meio do rosto tem toda a legitimidade; não pode alegar que não gosta do nariz do candidato a emprego, mas a maioria concordará que reservar-se ao direito de não gostar de um desenho seja entendido como uma forma de discriminação. De resto hoje em dia os miúdos fazem aquelas tatuagens mais pequenas no tornozelo ou na perna com 15 ou 16 anos, algo impensável no nosso tempo.

Aqui o que surpreende não é tanto "o quê", mas onde. Se isto tivesse acontecido em Conaças da Leitoa de Baixo, freguesia do Lálonge, distrito da Putaquepariu, ainda se entendia, mas em Oeiras? A última vez que verifiquei, isso ainda se encontrava nos arredores de Lisboa, não era? Na capital do país? Onde aparentemente existem pessoas que não sabem que existem outras com tatuagens dos pés à cabeça que de uma flatulência tiram dinheiro que chegue e sobre para calar os moralistas de pacotilha? Os músicos de rock, por exemplo? Vamos portanto assumir que esta era mesmo a razão e não um pretexto - sim, cada vez mais as pessoas se sujeitam a certas figuras - o que fazer agora perante este caso de "tatuísmo"? Li alguns comentários no FB de Clife Barbosa, alguns sugerido que o casal apresentasse queixa, denunciasse à CREL, e não faltaram os apologistas de um bom "bullying" (cibernético?), pedindo a identificação completa da escola e da educadora. Eu sugiro que se contacte imediatamente o Museu Britânico. Porquê o Museu Britânico? Para ir até Oeiras buscar a múmia que nunca viu uma tatuagem na vida.

Já nasceu! É um depende!


Children's need the mother's and the father. Or depends.

Será que sou só eu que denoto aqui os evidentes sintomas de retardação mental profunda ?


This is why because...

The children's needs the father and the mother's. Or not, they are abnormal like two man kiss the other. This is normal. This is mother giving children's milk, you see this in bus everyday. Normal.



Noon Michael Olivetree II


You hear I have to give you say: I have FOUR (FOUR! (4) YOU STUPID BRAINLESS MORON!) dótas, you know, you friends with cousin's my daughter yes? I know you that's because. One child is important father or mother no matter. I have no obsession, only obsession for mother. Me need mother. You have mother? No? Important we give homeless child mother and father. If no better they continue live in street, óright?

(Este gajo não aprende nada a ler os menus, ou isso? Ai o camano...)

Noon Michael Olivetree


Ok love is so nice so good yes?!?! Órite, and if you will ask baby, just about five minutes born, if want mother's or go living the two abortion from the nature??? What is what you find that she speak? She say mother's, bicóse everybody children's like mother, not two father's!! We don't can give children's to dirty bottom seekers, important!!

Hey Michael Richard's now that you care children's very much, why is you don't take they your house and care them? You no commentate more? You say this óredi 50 times. You forget?

Oh yeah, spique brites!


70 anos - há quem não tenha aprendido



Em Setembro assinalamos os 70 anos desde o fim da II Guerra Mundial,  na data da rendição final das tropas japonesas, e aparentemente o mundo voltava a viver em paz. Será mesmo assim? Uma guerra destas, onde morreram 40 milhões de pessoas em pouco mais de cinco anos deixa marcas. Marcas profundas que demoram a cicatrizar. Não foi nada de tão distante que conste dos nossos livros de História, nada de contos de reis, rainhas, descobertas, conquistas, e foi muito, mas muito depois do Renascimento, quando supostamente o Homem devia ter adquirido da luz da sabedoria a sensatez que lhe faltou - e faltará. Quase 70 anos depois as marcas estão lá, passam de geração em geração em geração, assim como as imagens de dor, o sofrimento. Qual filho ficaria indiferente sabendo que o pai passou por uma angústia como foi a dos campos de concentração nazi, por exemplo? Uma  memória que lhe apagava o mais vívido sorriso do rosto, que o silenciava quando tinha tanto por dizer. As pessoas vão, mas as memórias ficam, passam de mão em mão, de pais para filhos como outra coisa qualquer mais inocente; uma cantiga, uma lenda, uma laracha - quanto que não temos de mais querido foi também ensinado aos nossos avós? Mas há coisas que para nós podem não fazer qualquer sentido, ou que simplesmente nos deixam indiferentes, sem entender a dor alheia, sem saber a que sabe o sal das lágrimas de quem viu os seus deixados para trás no cenário mais tétrico da História.


Há quem não entenda, nem queira entender. Há quem pense que é tudo uma brincadeira, uma simples brincadeira. Nada, para ele isso não é nada. Nem ele é nada. Este indivíduo insulta gratuitamente a memória inteira de um povo. De um povo que fez uma travessia que não começou só ali no ghetto de Varsóvia, e que viu os tentáculos do horror se estenderem por Auschwitz, Dachau, e outros locais infames, de má memória, de péssima memória. E é péssimo o gosto pelo tipo de brincadeira deste Nuno Miguel Oliveira - mais um pobre ignorante que não sabe a sua História, mas de que a História certamente nunca fará menção, reduzido à sua insignificância, valendo tanto como as palavras ocas e fétidas que são sementes de um ódio que todos queremos esquecer, e não mais passar para os nossos filhos, netos, e para as gerações seguintes. Desculpa? Ah! Do que vale desculpa, se aqui o que conta mesmo é o que nos vai no coração. Será que tem coração, este Nuno Miguel Oliveira? Exagero? Exagero foi o horror, a morte, o ódio, este é só um peçonhento adereço a pedir para ser pisado. O que vale a verborreia que este biltre debite e com a qual polui as redes sociais, onde provavelmente se esquece que do outro estão pessoas que sentem? Não cabe a esta pobre vítima do seu carácter predador, vampiresco e parasitário perdoá-lo da sua falta. Esse é o desígnio de um ser maior. 

Para que não se repita mais o terror, e que cessem essas nódoas na forma de Nuno Miguel Oliveira, e todos os da sua reles sub-espécie. 

PS: ocultei a identidade da pessoa, que já suficientemente HUMILHADA por essa escória sub-humana que pensa que é gente. Vergonhoso!


Tratado da arruaça


E aqui do posto da liberdade, o horror dos farsantes, o caça-fraudes, o inimigo dos cabotinos que pensam que pensam que pensam que...ah deixem lá  senão depois já parece aquela conversa do pai que fez uma filha à filha, e foi viver com a mulher mãe da filha e a filha desta, etc. Queria agradecer aos leitores que me mandaram os "print-screens", e em princípio só faço mais este hoje, exactamente o último que chegou, porque é o mais hi-la-ri-an-te. Mas obrigado na mesma e vou seleccionar de tanto disparate aquele que seja menos fétido. Portanto, Nuno Miguel Oliveira, ditador do GRUPO! não "blog", sua aventesma, GRUPO "Ponto de Encontro da Malta Lusófona", e que pensa que toda a gente é burra como ele, veio esta tarde "dar o peito às balas". De joelhos, ainda não vencido, solta a sofrida chorosa lamúria: "Porquê?!?! Porque me crucificam a mim, tão generoso e tolerante, apenas porque estou contra os anormais dos paneleiros adoptarem criancinhas para depois lhes fazer mal?? Buh uh...mas não tenho nada contra homossexuais!!!!!". Ai sim, hmmm..



"Porque será que tentam vender a ideia deles...porque me querem converter, a mim, um Adónis, uma dádiva de Deus às mulheres. Oh, como em ofendem esses anormais, apenas porque eu nunca, mas nunca aceitarei que se entregue uma criança a eles..." - que comovente...confesso que chorei...a rir! Muito pior que ter várias faces, é serem elas todas feias que mete dó. Ai ele respeita os argumentos, ai ele não ofendeu ninguém, ai ele não é um palerma que quando não gosta da conversa atira com um "quem não gosta pode sair do (hmpf!) "Blog"" (alguém consegue explicar a esta besta a diferença?). E aquele "arruaceiro" ali no meio...olha, olha...sou eu! Que giro, mas nada como aquela última parte, onde diz a uma senhora para ser "astuta e dinâmica a comentar" - como ele, suponho, que é uma mente brilhante, produtora de alguns dos mais finíssimos LOOOOL da História. Mas desde o início...o quê? Sobretudo..."seriedade"? Vamos ao "início" desta discussão.


Pois, aí está, e Freud explica: ele queria só fazer aquela graçola sonsa, mas as pessoas começaram a "dizer coisas" e a "discutir temas" e ainda a "trocar ideias" e ui! Isto é muita areia para a camioneta ali do Nuninho, coitadinho, que só queria ser engraçadinho, e vocês fizeram-no "ler coisas", pá! Mas vejamos então o que é um "arruaceiro":


A primeira pessoa neste diálogo é, na realidade, um homem homossexual (e parece que sim, tanto faz), e a "Beatriz" a que ele se refere é mais uma pessoa que ali o Nunito Mussolini BANIU por "respeitar demasiado" a opinião dela. É um traste de um fascistazeco, badameco. Bom, assim sendo, reparem na fina troca de galhardetes entre ambos, com destaque para a resposta do Nuno Neanderthal: "epá...barbaridades de nível académico és tu, pá...que pões, que pões em causa 'tustisticas' e 'estudes' daz pessoaz, pá!" Eu até acredito que o Nuno Miguel Oliveira nutra um enorme  respeito por académicos, investigadores e outros elementos da comunidade científica, isto é, desde que não demonstrem o enorme asno que ele é, claro. No fim, e apesar de ninguém ter alguma vez em nenhum sítio dito isto,  Nuno Miguel Oliveira diz que o seu interlocutor "quer obrigar crianças a viver com homossexuais". Depende das crianças, se é ao que eu estou a pensar que ele se está a referir, e dou um exemplo: é melhor uma menina de 11 anos viver com um casal de homens "gay", do que com o tarado e pedófilo do padrasto dela. Penso que toda a gente concorda neste ponto. Não é assim, Nuno Miguel Oliveira?


Logo a seguir o mesmo interveniente dirige-se a Nuno Miguel Oliveira com um ambíguo "o que tu queres sei eu", seguindo-se mais uma vez a constatação do evidente: o Nuno Miguel Oliveira é analfabeto (entre muitas outras coisas). Ele responde...na mesma moeda? Na, o homem gosta é de gajas, pá, mulheres, pá, não é como aquele "aborto da natureza" (essa é boa, a "natureza" a abortar), ele não quer "gente" como aquele gajo a adoptar, pá! Vai lá e adopta ele, ali, como um homem, pá! E homofóbico? Tás a chamar homofóbico a quem, pá? Homofóbico é a tua tia,  pá, que eu fui à escola, ó. Mas isto foi, ao que parece, um momento "mau" (como se houvessem outros...)


Oh oh vejam só, estava eu ali a respeitar os homossexuais e os outros anormais que os apoiam, e eles, epá, toca de responder às minhas alarvidades, insultos e ideias retrógradas e senis. Isto não se faz! Ninguém lhe dá o direito de ofender primeiro, que para isso estou aqui eu. E já agora...


Ai vejam lá vocês que não podemos dar a nossa opinião sobre aqueles abortos, que os anormais vêm logo atacar-nos, pá! Mas já que este se preocupa tanto com pedófilos e afins, lembrei-me de uma coisa: QUANDO É QUE PRENDEM AQUELE PEDÓFILO NOJENTO QUE QUERIA SALTAR PARA CIMA DA ENTEADA DE 11 ANOS E A MULHER METEU-O NA RUA E EXPULSOU-O DO RESTAURANTE DE QUE ERA PROPRIETÁRIA E ONDE ESSE REFERIDO PEDÓFILO TRABALHAVA? 

Só por curiosidade...

Mais abaixo, no norte


Aqui não sei se é para lhe recomendar uma bússola ou um dicionário...


O Ponto do tonto


Comentem! Mas vejam lá se não apontam as enormidades que o moderador (?) do grupo passa a vida a debitar!

Não sei se estão recordados do mIRC, um instrumento dos primórdios das redes sociais muito anterior ao Facebook, Twitter, etc., e que perante os actuais pode-se considerar bastante rudimentar. Já nessa altura os canais do mIRC eram controlados por um "op", uma espécie de moderador que tinha autoridade para executar certos comandos, entre eles banir pessoas do canal, bem como nomear outros "op" como ele, mas com menos poderes. Normalmente o "op" com mais poder, o "owner", ou proprietário desse canal era uma pessoa sensata, pois caso contrário dificilmente alguém se juntaria ao seu exercício de vaidade privada, mas alguns dos restantes operadores eram pessoas que usavam este "poder simbólico" para fazer aquilo que na vida real nunca teriam a possibilidade de fazer: exercer autoritarismo usando apenas o seu critério. Este seu "critério" era também produto da frustração por esta "faculdade" lhes ser vedada na vida real, e andavam um bocado cansados de "levar nas orelhas" sem dar a ninguém - ou pelo menos andar num "simulador". Passados para o Facebook, encontramos os "grupos", que são uma versão mais elaborada dos canais do mIRC, e onde se podem debater tópicos diversos, e no caso deste que vos vou falar a seguir, "generalidades". Os tiques autoritários podem-se encontrar aí também, com a agravante de que por vezes se trata de pessoas que julgam saber do que estão a falar, e pretendem ser levadas a sério, mas são umas enormes cavalgaduras. Sonhar ainda é grátis, suponho.

O grupo de Macau que dá pelo nome de "Ponto de Encontro da Malta Lusófona" surgiu da divisão em dois de um outro original por culpa do choque de egos dos seus criadores (queriam os dois ser eles a mandar, o normal), e é da responsabilidade de um tal Nuno Miguel Oliveira, que lhe chama "Blog" - como se "blog" fosse algum tipo de expressão máxima de alguma coisa. Trata-se exactamente do tipo de pessoa que descrevi num outro artigo, e que se enquadra neste descrição: "(...) habituado a que os outros fiquem calados para não terem que o aturar (não é a mesma coisa que dar razão), que quando alguém - ou por desconhecimento da idiotice do indivíduo, ou por comiseração - lhe chama a atenção, rosna, ladra, eriça-se mais que um porco-espinho, tudo como quem diz: "não quero saber se é assim ou não é, mas uma vez que eu disse que é, passa a ser, e pronto"". Tal e qual. Há quem prefira mesmo ficar calado do que andar a discutir com pessoas que só querem ter razão, mas é também por isso que o mundo está como está: deixamos gente desta ir por aí fora e no fim queixamos-nos de que "é tarde demais". Só para que não pensem que isto se deve a eu ter ficado ressabiado devido a este caso em particular, e digam-me se têm estômago para digerir isto:


Enfim, política, sem dúvida, ou qualquer outra coisa de que o tipo não pesque uma minhoca. Agora perante isto, esta parvoíce sem pés nem cabeça, ninguém diz nada, ou limita-se a chamar a atenção para o facto do Eusébio ter nascido no antigo Império Português, Moçambique só se ter tornado independente quando ele tinha 32 anos, e não poder ter escolhido mais nenhuma nacionalidade - conhecendo aqui o Nuno Miguel Oliveira faria o possível para obter outra, não tenho qualquer dúvida. O mais incrível é a forma como encontra para elogiar Aristides de Sousa Pereira, "sacrificando" para isso Eusébio! Isto do Panteão Nacional vale o que vale, e fico perplexo como é que alguém se dispõe a fazer uma figura destas em nome de alguém de quem sabe muito pouco, ou nada.


Vou ocultar a identidade das pessoas que não têm nada ver com a discussão, e quanto aos restantes, devem estar perfeitamente cientes do que disseram, e confortáveis com isso. Aqui vemos o grande Hugo Gaspar a fazer chover no molhado, com destaque para a parte em que fala do Prof. José Hermano Saraiva, ao que Nuno Miguel Pinto responde nestes termos: "quem era o prof. José Hermano Saraiva". Eu acredito piamente que ele não saiba quem é o prof. José Hermano Saraiva. A sério, ele é mais Toy e José Malhoa. De seguida, e como quem está a dirigir-se a uma criança de três anos, Hugo Gaspar tenta fazer ver que "Angola e Moçambique não eram nacionalidades", mas pronto, que se lixe o Eusébio que o Aristides "salvou vidas"...a quem lhe pagou. Pelo menos foi honesto, já o Nuno Miguel Oliveira...


...dá o dito por não dito. Como percebeu que não o iam deixar a falar sozinho (o disparate tem limites), e sabendo que está a lançar uma discussão pífia e ridícula, finge que "estava só a brincar". Ah, que giro. Hilariante, até. Na altura não quis comentar, pois qualquer coisa que não deixasse vincado que estaria a dirigir-me a um completo idiota seria perder o meu tempo. Mas poucos dias depois deu-se mais um episódio em que foi impossível resistir:


Ena pá, "documentos reais". É melhor pegar nisso com uma luva, nunca se sabe! São "reais" porque têm números e letras à brava, que provam que "os comunistas mataram E MATAM muita gente". Porquê?


Ora, então não se vê que "a China ainda hoje mata e condena pessoas inocentes por não aceitarem a ideologia comunista". Ainda não entenderam,foi? É assim: - "TU, SEL COMUNISTA AGOLA!" - "NUNCA! NÃO QUELO" - "ENTÃO MOLEL! PUM!". Vejam ali em baixo a posição defensiva que toma quando eu faço um primeiro comentário: "oh não, lá vem aquele chato que pensa e escreve textos que eu nunca poderia ler por terem mais de 10 palavras, e não acabam em LOOOOL!". Interessante como diz que "fica estupefacto" com o que quer que seja, pois para se atingir o nível de estupefacção é necessário ter princípios sólidos, bem como alguma verticalidade. Eu é que fico "estupefacto" com alguém quem condena veemente a China, que são "monstros", mas que trabalha e vive na China. É um golpe baixo da minha parte dizer isto? Por se viver na China não é obrigatório concordar com o regime ou aceitar tudo o que é dele emanado? Mas isso pergunta-se? Claro que não, mas digam-me que transtorno psiquiátrico é este em que se morde a mão que dá de comer usando para o efeito argumentos patetas deste tipo? A China mata alguém por não ser comunista ou "não concordar com a ideologia"? Mas que merda é esta? Eu tenho uma teoria que explica o que vai dentro daquela cabecinha:

1) a pessoa que assina estas afirmações e a pessoa real são a mesma, mas o que se diz na internet "não conta".

2) Podem-se dizer as maiores barbaridades e no caso de alguém chamar a atenção alega-se "liberdade de expressão"

3) Eu tenho a minha opinião (que é só dele, mas quem mais ia querer???), vocês têm a vossa, mas se for diferente da minha é melhor que não discordem muito, senão...

...senão o quê? É o que vamos ver a seguir.


LOOOL! De facto o tema da adopção tem muito que se lhe diga, e mais ainda quando alguém lança uma discussão aparentemente séria (ou pelo menos "normal") sobre o assunto, e depois diverte-se a humilhar pessoas que não lhe fizeram mal nenhum. A minha posição, que deixei clara desde início mas que numa tentativa de baralhar e sair do lodo onde se meteram, certas pessoas teimavam em perguntar-me qual era, é a seguinte: não sou a favor nem contra, porque não me diz respeito, contudo fez-se a experiência há mais de uma década, nunca houve casos graves relacionados com os maiores receios lançados inicialmente, então não vejo uma razão para não permitir. Claro que é melhor adoptado por uma família convencional, mas em primeiro lugar deve estar o interesse da criança, e nesse é preferível ser adoptados por um casal LGBT, seja ele composto por homens ou mulheres, do que ficar a apodrecer num orfanato, deixado ao Deus dará. Nem era para meter a minha colher nesta discussão, mas achei graça a isto:


E pronto, foi isto que me chamou a atenção. Os argumentos das pessoas que são contra baseiam-se em pressupostos morais, religiosos e outros do foro biológico que mais parecem da era primitiva da medicina. Este em cima, por exemplo demonstra alguma ignorância, ao mesmo tempo que diz que quem não tem mãe que o carregue na barriga e lhe dê leitinho, não é ninguém, além desse grande problema que é a prenda do Dia da Mãe: isto é que os sociólogos e toda essa malta nunca tiveram em conta na análise deste tema. Hesitei na hora de ocultar a identidade desta pessoa, que posso garantir ser a mesma nos três comentários - afinal deve saber o que diz, certo? Mas achei que não valia a pena. Outros argumentos eram um bocado difíceis de entender, como este:


Lá está: ser a favor da adopção de crianças por casais "gay" ou não encontrar nada contra (no meu caso) vale uma destas duas coisas, ou ambas: ou se é homossexual, ou como diz aqui o Miguel Ricardo, "está-se a transformar um casal homossexual num pai ou numa mãe". Mais à frente insiste na tese da família convencional, do pai e da mãe, e pergunta "onde está a figura da mãe num casal homossexual?". Ai! Agora é que me tramou! Deixou-me desarmado...com um arsenal maior que o da polícia de Los Angeles. É assim: num dos casos, não existe a figura da mãe, mas para a criança adoptada isso não vai fazer grande diferença, uma vez que nunca teve uma; no outro caso são duas mães, mas é evidente que este camarada está preocupado com os "gajos" apenas. Ah, e com as crianças, É que neste tema, e apenas neste tema, as crianças que não sabemos quem são contam muito, e estão muito mais bem entregues ao orfanatos e às casas pias desta vida do que "com casais gay". Mas julgo que o Miguel Ricardo enganou-se na discussão, querem ver?


Ah...pois, pois, criancinhas. Mas qual era mesmo o tópico?


Pois. Eu deixei ali bem assinalado para o Miguel Ricardo, que aparentemente "vê mal", além de não conseguir explicar porque é que não concorda com a adopção por casais "gay". Se calhar o Nuno Miguel Pinto devia ter feito a pergunta com opção de resposta apenas "sim/não". Mas isso também já seria estar a pedir muito, se calhar. E isto leva-me à argumentação do Nuno Miguel Oliveira, ou melhor, à falta dela com queda para o dislate (lá vai ele ao dicionário ver o que este "insulto" significa).


Ih, bem, o que para ali vai. "A natureza decidiu assim", "as crianças não podem decidir", e ao "entregarmos uma criança a um casal homossexual não damos direito de escolha a uma criança", e assim "obrigamos as crianças a crescer com uma anormalidade". Mas atenção: "discordo que homossexuais tenham direito de opção mas (...) sem discriminar homossexuais!!". Pérolas. Eu não sei onde é que ele aprendeu que meter pontos de exclamação no fim de cada frase provam que está a dizer alguma coisa de jeito. Para mim parece mais que está aflito, ou que vem aí o papão, ou o homem do saco. Portanto isto não se trata de discriminar ninguém, não senhora. A mesma pessoa que lança o debate defende a certo ponto que dois tipos de casal (hetero e homossexuais) têm naturezas e direitos diferentes, com prejuízo para um deles, mas isso "não é discriminar"! Olhe, aproveite aí enquanto está com o dicionário na mão e veja o que "discriminar" significa, já agora. 


E é aqui que começa a discussão, ou melhor, há alguém que refuta as barbaridades que este alarve regurgita.  Bem, de facto não nos livramos de uma sociedade sem "profetas" (?) que façam mal, mas por essa lógica, não se adopta de todo, pois ninguém é de confiança. Aqueles remoques meios esquisitos onde que eu estou a "divagar" e a "falar do que não sei" aqui à frente do Dr. Marreta deve ser uma estratégia de dissuasão que ele leu em alguém sítio, desconheço, mas tudo o que eu perguntei foi isto:


E posso garantir que não encontram em parte alguma qualquer indicação de que eu apoio, patrocino, reitero ou dou aval à adopção. Como a questão aqui era "se concorda", pensei que pudesse perceber melhor as razões de quem está contra, mas:


Mas não há razões nenhumas: é contra, e o mal foi-se ter pensado que se podia ter um conversa normal com alguém que para sustentar as palermices que afirma, usa isto:


Aí está: a prova cabal de este indivíduo não lê, não sabe, não pensa, não tem moral, e mais epítetos que introduzirei à medida que desbasto esta fraude que diz que é pelas liberdades e o camano. Coitado. Se forem a qualquer destes "sites" que ele deixou (especialmente o primeiro) vão perceber que ele faz "copy-paste" das coisas sem saber o que são - nem quero imaginar o que ele deve ter escrito no motor de busca para  sair aquilo! Mas eu entendo, coitado, o senhor sentiu-se "pequenino" depois disto:


São dois relatórios, um da American Medical Association, e outro da American Psychiatric Association, que concluem não existir qualquer relação entre  instabilidade emocional ou psíquica e a adopção por casais do mesmo sexo. O fulano rebate isto com duas páginas, de uma Igreja Evangélica Brasileira, e uma notícia que fala de como os filhos adoptivos na Argentina estão contra a ideia. Bravo, palmas para este génio, para este "profeta do mal". 


Como podem ver, pediu números, eu dei-lhe números. Pediu estudos, eu dei-lhe estudos. Podia ter feito como toda a gente e ignorar as patetices do tipo, mas que serviço estaria eu a prestar à humanidade deixando passar tamanha presunção, ignorância e demência. E depois é um tipo honesto como o caraças, vejam isto:


Para eu ler??? Não obrigado. Era melhor que você lesse primeiro, pois assim evitava fazer figuras tristes ao defender que TODOS OS PEDÓFILOS SÃO HOMOSSEXUAIS:


Entrou para a Igreja Evangélica, o Nuno Miguel Oliveira. Saravá, mermão! Ou é possível ainda que esta criatura quando era pequena tenha bebido a tinta da lata naquele verão em que pintaram a cozinha, ou tenha engolido o mercúrio de um termómetro. Só assim se explica que faça "copy paste" de coisas que se (até ele) lesse antes, achava uma tontice pegada. Mas é o desespero: mete-se a falar de pedófilos no meio da discussão...


...e eu é que estou a criar uma confusão. Pelos vistos a confusão está sempre a aumentar, pois qualquer coisa que não seja "gajas LOOOL" e idiotices onde se contradiz e debita as maiores calinadas de que há registo (dava para fazer uma enciclopédia, ou neste caso "enciclopeida") é "complicado". O "problema" é que eu pensei que este indivíduo tivesse um neurónio que funcionasse - mesmo depois de tudo aquilo que foi exposto inicialmente neste artigo! Vejam só como eu sou crente. E a este ponto já me tinha deixado de me referir a ele, abandonando uma vez 


Aqui, já em desespero e a coçar-se todo de tantas "coisas", pá. O Leocardo, pá, "coisas, LOOOOL cromo LOOOOL". Reparem como tenta elogiar-me para ver se me calo - passo, afastai de mim esse cálice - e diz que sou um "bom político" - toda a gente é um "bom político" para ele: basta ter uma conversa normal, daquelas que os adultos. Mas o que ele não aguentou mesmo foi isto:


Ai miúda, o que foste fazer! Tinhas que prestar tributo ali ao rei momo dos LOOOOOL. Então, ele é que é inteligente, e "apresenta estudos", e já para não dizer "bonito", o máximo. Ah é verdade, e "não discrimina homossexuais":


"O peixeiro fez uma filha à filha, e continua a viver com a mulher e com a filha deles com  a filha dele com a filha, que é neta da mulher". Que confusão! LOOOL incesto! Quatro personagens numa história, que Babilónia, que não se entende. Seja como for isso, assim como todo o resto "não é argumento para ENTREGAR CRIANÇAS A HOMOSSEXUAIS" - os tais que ele "não discrimina", nem "tem nada contra", só que não se sabe o que podiam fazer às crianças, pronto. Coitados, são anormais. E isso de "respeitar a opinião" dos outros, é MENTIRA! Posto tudo isto o tipo removeu-me do grupo (tal como eu esperava, aliás), e mais, bloqueou-me! Uhhh...valente, aí têm: o menino fez birra! Buh uh uh...chora lá mais um bocadinho, vá lá. Posto isto...


...este triste traste que se diz liberal, respeitador e não sei que é mais não passa de um badameco que nem sabe o que diz, com tiques pidescos e uma vaidade que só tem lugar na categoria do "burlesco".  Vou repetir e deixar bem claro para que não restem dúvidas: 

O NUNO MIGUEL OLIVEIRA É UMA FRAUDE QUE SE DIZ DEFENSOR DA LIBERDADE, MAS APÓS O QUE ESTÁ AQUI EXPOSTO REVELA-SE UMA PERSONAGEM SINISTRA E POUCO RECOMENDÁVEL.

Indiferente ele não vai ficar de certeza, se calhar vai alegar que eu não sei quê, ou inventa umas regras que eu violei, enfim, tenho a transcrição toda da conversa, que for ainda mais boçal que ele que se deixe enganar. E é melhor que não estrebuche muito, porque de onde saíram  estas há muitas, muitas mais, é um festival cómico-trágico da nescidade sem o mínimo de pudor. É possível que lhe tenham que explicar este "post", uma vez que mesmo que ele o fosse ler não ia entender, e se for preciso recorram a métodos audio-visuais - daqueles que usam com crianças inadaptadas ou com dificuldades de aprendizagem, sabem? O melhor mesmo era ele dedicar-se a isto...


...que é mais adequado para a sua idade mental, e deixa-o entretido o dia todo.

Para terminar um recado: se perante todas aquelas demonstrações de retardação, aquilo que vos impede de chamar o tipo pelo nome que mais lhe assenta na perfeição - tremendo idiota - é "medo" que ele faça também birra e que "aceite" a vossa opinião...para fora do grupo, porra, abram vocês um grupo e eu vou lá! Basta comportarem-se como pessoas civilizadas, alfabetizadas, adultas e normais, ou seja, o exacto oposto do Nuno Miguel Oliveira, para garantir sucesso! Ainda temos que aturar isto? Tá bem, tá...